Hospital

Décadas de 20 e 30 marcam início do Hospital Ouro Branco

O início do Hospital Ouro Branco, de Teutônia, remete ao século passado, ao final da década de 20 e início da década de 30. Foi naquela época que o médico João Basílio Lavrinenco chegou à Vila de Languiru, hoje Bairro Languiru, e iniciou suas atividades. Antes dele, já estava na localidade o Dr. Gomes Ferreira, que conduzia as atividades da entidade, localizada em endereço próximo onde hoje está o Centro Comunitário Martin Luther, no Bairro Languiru. O prédio pertencia a Bertholdo Stapenhorst e a manutenção do hospital ficava por conta da família Hilgemann. No prédio de material funcionava a parte clínica e, ao lado, um salão com divisórias de meia parede abrigava os quartos.

Considerando a precariedade das instalações e após desentendimento com a família que mantinha o hospital, alguns anos depois foi o próprio Lavrinenco que resolveu pela construção de um novo hospital, cujas obras iniciaram em 1944 e foram concluídas em 1945. O novo prédio possuía uma área construída de 582m2, 13 quartos com 18 leitos, entre outras dependências. A antiga ala do hospital ainda mantém alguns traços de sua origem até os dias de hoje e integra o complexo da casa de saúde no Bairro Languiru.

Como forma de reconhecimento a importância da gordura animal para a economia local e regional, alimento produzido em grande escala comercial, Lavrinenco decidiu pelo nome de Hospital Ouro Branco.

O quadro de colaboradores da casa de saúde na época era de oito pessoas, entre eles o médico Dr. Lavrinenco, o farmacêutico Eugênio Scheckanov, o auxiliar farmacêutico Jorge Stelcowsky, a parteira Georgina Greef, a auxiliar de enfermagem Angelina Dilli, os funcionários da cozinha Oscar Valber e Ida Kreiwe Valber e a serviços gerais Gerda Prass.

João Lavrinenco veio a falecer em 1963, quando o hospital já contava com os trabalhos do Dr. Hércio Pêgas, que passou a atuar no local em 1957. Na década de 60 também passou a clinicar no Hospital Ouro Branco o teutoniense Dr. Silvério Schneider.

Identidade Institucional

Nosso Negócio

Bem estar físico, emocional e social.

Missão

Proporcionar soluções em saúde com qualidade no atendimento para todos que utilizam os serviços do HOB, tornando-o sustentável e contribuindo para o bem estar da comunidade.

Visão

Ser reconhecido regionalmente como uma instituição de saúde com atendimento humanizado e qualificado buscando a sustentabilidade até 2020.

Valores

Pessoas em primeiro lugar ;
Equipe comprometida;
Fortalecimento da Imagem e Confiança;
Atendimento com Qualidade;
Comportamento ético;
Busca da Inovação;
Projetos

Grupo de Orientação e Apoio à Gestantes

O Hospital Ouro Branco oferece desde 1995, duas vezes ao ano o curso de Gestantes.

Durante três sábados das 8h às 11h30min, as gestantes e acompanhantes, recebem informações sobre diversas fases da gestação, período de amamentação e cuidados com o bebê.

A equipe que ministra o curso é multidisciplinar, e é constituída por: psicóloga, médico obstetra e pediatra, anestesista, enfermeira, fonoaudióloga, dentista, nutricionista, professora de educação física e representante do setor administrativo.
As inscrições podem ser realizadas através do telefone (51) 3762 1600.

Projeto HOB vai à Comunidade

Neste projeto o Hospital coloca a disposição vários profissionais que atuam no mesmo. Entre eles estão médicos, nutricionista, farmacêuticos, enfermeiras, bioquímicas, entre outros. Realizam palestras (nas comunidades, grupo de idosos, nos clubes de mães, escolas, OASES, empresas) sobre assuntos específicos de cada profissional e que sejam de interesse destas entidades.

HOB aberto à Comunidade

Outro projeto desenvolvido a partir de 2002 visa integrar a comunidade com o hospital. Para tanto diversas entidades são convidadas para conhecer o hospital. As visitas ocorrem conforme agendamento das entidades interessadas possibilitando que as pessoas conheçam a historia, projetos e serviços desenvolvidos, além de visitarem as instalações.

Grupo de Trabalho Humanizado

Projeto social, desenvolvido pelo Grupo de Humanização do Hospital Ouro Branco distribui mudas de frutíferas para cada nascimento na casa de saúde

Desde 2009 é assim. A cada nascimento no Hospital Ouro Branco, mãe e bebê recebem uma muda de árvore nativa frutífera por meio do Projeto Crianças e Árvores Crescem Juntas. A iniciativa do Grupo de Trabalho Humanizado (GTH) do HOB surgiu a partir de atividade semelhante divulgada por hospital do noroeste do Estado em um jornal gaúcho.

Por meio do projeto “ Crianças e Árvores crescem juntos “ , a cada nascimento no HOB, uma muda de árvore frutífera nativa de pequeno porte, como pitangueira, amoreira e jaboticabeira, é entregue para a mamãe, que leva para casa a missão de cuidar do filho e, também, de uma árvore. “Por isso o nome Crianças e Árvores Crescem Juntas. Enquanto os pais têm todos os cuidados com o filho recém-nascido, assumem também um novo compromisso social com o meio ambiente ao plantarem uma muda de árvore. A iniciativa também pretende despertar muitos ensinamentos e garantir a melhoria da qualidade de vida de pais, filhos e futuros netos”.

“A preservação do meio ambiente é um ato de cidadania e dever de todos. O projeto é uma forma de incentivar e desenvolver a consciência ambiental de pais e filhos desde cedo”.

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa  Política de Privacidade.